O trabalho aqui desenvolvido é feito em torno do património sonoro do Centro Histórico do Porto, uma vez que é precisamente esta identidade que se pretende registar, restaurar, recriar e catalogar. Como património sonoro entende-se todo o tipo de evento sonoro que caracterize e descreva claramente o CHP, nomeadamente o som envolvente (o som das ruas e espaços públicos), marcos sonoros específicos (o sino de uma determinada igreja, por exemplo), elementos musicais localizados (preservação da ligação de um evento musical a um espaço específico), fonética e fonologia (identificação e significado de pronúncias e frases características).

A recolha deste património é feita com equipamento especializado para gravações de campo, sendo depois catalogada, ordenada e disponibilizada para vários projectos de cariz musical ou sociológico.


A maior parte dos registos é feita com microfones binaurais, cujo tamanho e colocação (semelhantes a pequenos headphones) permitem o registo discreto dos eventos sonoros. Isto possibilita um tipo de captação anónima, mantendo sempre a privacidade dos eventuais intervenientes. Esta abordagem é completamente distinta de um registo audiovisual, uma vez que aqui, dada a associação directa de vozes, pessoas e locais, o registo poderia tornar-se limitativo (restringir um depoimento genuíno, por exemplo) ou invasivo (a associação de uma acção a uma pessoa concreta, por exemplo).
Para além do registo anónimo, serão feitos vários registos devidamente documentados, tais como o relato de histórias e expressões verbais ou excertos musicais.

Os registos sonoros serão ainda editados e tratados digitalmente. Nesta fase está também a ser feito um trabalho de pré selecção do material registado, arquivando-o segundo temáticas que permitam um acesso universal.

O projecto de recolhas sonoras está também relacionado com o projecto Rádio Manobras, onde poderão ser divulgadas algumas das recolhas sonoras efectuadas. Este projecto contribuirá assim para uma programação variada da Rádio Manobras, assente no legado sónico do CHP.

Este site servirá como plataforma de apresentação de uma selecção cuidada das inúmeras horas de recolhas sonoras resultantes de um trabalho de dois anos. O site serve também como cartografia sonora imaginária / real, onde são privilegiadas as gravações de campo com mais relevância do ponto de vista musical / criativo, em contraste com mapas sonoros que privilegiam o lado documental das recolhas sonoras. O site serve também como base de dados para o centro de investigação e documentação de obras e património musical do CHP. Desta forma, o site contribuirá para:
-    Catalogação e preservação do património sonoro do CHP
-    Apoio documental e informativo aos projectos e actividades musicais promovidas na cidade do Porto
-    Apoio à investigação na área musical (e outras)
-    Assegurar o acesso a recursos electrónicos de qualidade

O Site está dividido em categorias sonoras específicas, a saber:

Percursos sonoros Imaginários
- Propõe-se a diversos artistas sonoros um percurso sonoro real ou imaginário onde as fontes sonoras originais são combinadas ou transformadas de forma a obter uma interpretação pessoal das sonoridades do CHP

Vozes (voz)
- Conversas de café, expressões do quotidiano, calão

Histórias (identidade)
- Depoimentos curtos relacionados com a cidade, definição do som do Porto

Ruas (característica)
- Pregões, transito, músicos de rua

Marcos sonoros (especificidade)
- Fontes, sinos, semáforos, detalhes "microscópicos": captações próximas de granito, portas, rio, etc

Celebrações e eventos (celebração)
- Feiras: feira dos pássaros, vandoma, festividades (S. João), missas, jogos de futebol, eventos desportivos

Espaços Acústicos (ressonância)
- Tuneis, igrejas, museus, metro

A separação em diferentes categorias, complementadas com imagens que enquadrem cartograficamente os sons, permitirá também tecer conclusões a longo prazo, onde se poderá fazer uma avaliação da evolução da qualidade acústica de um espaço urbano. Estes dados podem assim ser avaliados por arquitectos, sociólogos ou ambientalistas para assim se desenvolverem projectos urbanos com soluções acústicas adequadas.

Há ainda uma secção, denominada Cartografia Sonora, onde é disponibilizado um elevado número de recolhas sonoras, devidamente cartografadas e identificadas.